O projeto

O Brasil é o maior produtor de cana-de-açúcar e soja do mundo – sua produção atinge a marca de 700 milhões de toneladas por ano e 120 milhões de toneladas respectivamente.

No entanto, os métodos atuais de limpeza da cana-de-açúcar, como a tradicional queimada, fazem com que toda a palha da cana e seu potencial energético e financeiro sejam perdidos, e o grão de soja limpo tem mais valor agregado e durabilidade.

Além disso há potencial para diversos tipos de grãos, como, milho, feijão, arroz e outros grãos.

Por isso, os projetos de sistemas para limpeza a seco de cana-de-açúcar e grãos da Dýnamis surge como uma excelente alternativa para os produtores do setor, que desejam contar com uma opção desenvolvida com a parceria de nomes como FAPESP e Embrapa.

Como funciona

Capaz de entregar melhor separação e uso da palha perdida na colheita e limpeza de grãos, o túnel de vento para limpeza a seco oferece vantagens bastante atraentes como:

  • Sem queimadas no campo;

  • Sem consumo de água;

  • Cana muito mais limpa;

  • Grão muito mais limpo;

  • Moagem mais eficiente;

  • Mais energia renovável;

Separando apenas a terra na hora da colheita, é possível transportar a cana-de-açúcar picada junto com a palha, que pode ser aproveitada na geração de energia renovável e até na produção de etanol de segunda geração.

Da mesma forma na colheita de grãos, essa limpeza eficiente e completa gera uma matéria-prima com valor muito mais agregado ao mercado, beneficiando agricultores e levando um produto de mais qualidade para a mesa do consumidor.

Hoje, a Dýnamis trabalha em uma remodelação completa do seu projeto, o que é considerado um novo e importante marco para o setor de túneis de vento.

Toda a experiência adquirida no processo de desenvolvimento do Wind up fez com que a Dýnamis atingisse novos níveis de pesquisa, tecnologia e inovação, permitindo assim que outros ramos fossem explorados em sequência.