O projeto

Desenvolvemos a partir de 2009, com apoio financeiro da FAPESP, o projeto de uma Estação de Coleta de Dados meteorológicos com a finalidade de obter informações que permitam analisar o potencial eólico de uma determinada região (também pode ser usada para outros estudos meteorológicos).

Trata-se de um sistema flexível, autônomo, e de baixo custo com data logger, comunicação GPRS, cartão SD de grande capacidade de armazenamento, configuração total via software, proteção contra descargas atmosféricas, capacidade para 12 anemômetros de velocidade, 4 anemômetros de direção e mais um conjunto de sensores analógicos como, por exemplo, barômetro, sensor de umidade, temperatura e outros.

Temos um banco de dados atualizado com séries históricas de nossas próprias estações e de outras redes totalizando aproximadamente 500 estações em todo o País.

Como funciona

Desenvolvemos metodologias para análise de dados e identificação de locais potenciais, bem como capacidade para estimativas e cálculos detalhados de geração de energia por fonte eólica através de modelos convencionais e de simulações de dinâmica de fluídos computacional.

A tecnologia e a metodologia desenvolvidas nos fornecem informações mais detalhadas e mais precisas do aquelas encontradas nos Atlas Eólicos atualmente disponíveis e nos capacitam no estudo de micrositing, ou seja, estudo eólico local para projeto de uma usina eólica e cálculo de geração de energia total com melhor precisão que os Atlas Eólicos atualmente disponíveis.

Temos instalado essas estações em torres de até 60 m de altura em parceria com empresas, investidores e fazendeiros. Em 2010, iniciamos a fase de disponibilização comercial de nossos serviços de prospecção.

Hoje, a Dýnamis trabalha em uma remodelação completa do seu projeto, o que é considerado um novo e importante marco para o setor de túneis de vento.

Toda a experiência adquirida no processo de desenvolvimento do Wind up fez com que a Dýnamis atingisse novos níveis de pesquisa, tecnologia e inovação, permitindo assim que outros ramos fossem explorados em sequência.